25 – por Sam Devries

Eu estou feliz de completar o primeiro quarto de 100 NUDE Shoots, com o ensaio # 25 pelo fotógrafo da forma masculina Sam Devries de Nova Iorque.

Hugo by Sam Devries

Hugo by Sam Devries

Um dos assuntos recorrentes (entre vários outros) que circundam o projeto 100 NUDE Shoots, não sem polêmica e controvérsia, é a dessexualização da nudez. Se a visão da nudez fosse uma ocorrência comum, sem o tabu, a censura e as proibições que ainda a perseguem, lidaríamos melhor com ela e pararíamos de relacionar automaticamente o corpo nu ao sexo, o que nos beneficiaria muito no caminho para uma sociedade mais saudável. Ao me expor nu de muitas maneiras diferentes e discutir abertamente essa experiência, frequentemente ouço que estou ajudando outras pessoas a lidar com a nudez com mais naturalidade…  e essa é uma grande recompensa pra mim.

Mas aqui, agora, eu decidi produzir e publicar esse ensaio nu pelo Sam Devries com um apelo obviamente erótico, sexual. Nessas imagens, apesar de estar só, a abordagem sexual está intencionalmente explícita. Eu propus esse ensaio porque acho que o tabu em torno do sexo também nos é prejudicial. Na minha opinião, a nudez só é tabu porque o sexo é tabu em primeiro lugar. E se o sexo não fosse um assunto tão sensível e privado? E se pudéssemos ver e discutir sexo, desejo e erotismo tão abertamente quanto discutimos culinária ou política?

Hugo by Sam Devries

Hugo by Sam Devries

Na verdade, nosso mundo é muito permissivo para o sexo e o erotismo. A publicidade, a televisão, os filmes estão cheios de sexo — a única regra é manter os genitais escondidos ou censurados. Por que um pênis ereto ou uma vulva exposta ainda são o alvo central da censura, mesmo quando estamos representando atos sexuais em fotografia ou filme? Por que esconder a genitália torna mais aceitável uma imagem igualmente erótica? Uma imagem é menos digna da denominação de Arte porque é erótica ou explícita? Por que a palavra “explícito” traz uma carga tão negativa? É o sexo, ou a imagem do sexo que traz a polêmica? E por que?

As questões transbordam…

Hugo by Sam Devries Hugo by Sam Devries

Hugo by Sam Devries

* A fotografia acima está disponível à venda como uma impressão Fine Art Print em Edição Limitada. Ao comprar um dos meus Prints, você adquire uma obra exclusiva, em tiragem limitada, e ainda apoia a continuidade do meu trabalho. Saiba mais e veja a coleção disponível de Prints em Edição Limitada do 100 NUDE Shoots clicando aqui. Se preferir comprá-los online diretamente, visite a minha Galeria no site DeviantArt (note que só é possível comprar através da versão desktop do site, e que as fotografias que contenham imagens de ereções não estão disponíveis nessa plataforma), ou então entre em contato com a sua solicitação de orçamento, seja da série de Edições Limitadas ou outras fotografias do projeto.

Estou dando aqui com esse ensaio # 25 um passo diagonal nessa estrada da naturalização de nudez pra afirmar que o sexo também deveria ser visto sem escândalo. Eu acredito que se o sexo também fosse naturalizado, não restringido, não censurado, tornado assunto comum, não haveria mais culpa nem humilhação sexual. Não mais assédio sexual, estupro, pedofilia, não mais exploração sexual. Por que tememos tanto o sexo? Vamos censurar o machismo, não o sexo. Vamos censurar a violência, a discriminação, a humilhação, a xenofobia. Vamos ser sexualmente positivos.

Pedi a amigos que contribuíssem com suas próprias visões sobre o assunto. Aqui está um pouco do que alguns disseram:

Há muitos séculos a nudez é vista como algo negativo, algo a se esconder. Quanto a sexo, então, é ainda mais forte esse sentimento. Algo a se fazer entre quatro paredes e em segredo, nunca exposto ou discutido a fundo… A maioria das pessoas se sente extremamente desconfortável em se expor, seja pela nudez ou numa roda de conversa onde se fala sobre sexo. São tabus construídos ao longo do tempo graças à hipocrisia humana. A sociedade não está preparada para que o explícito se torne público, mas no sigilo as pessoas são plenas para divulgar gratuitamente sua intimidade. O clandestino é aceito, o público não. — Rodrigo Vieira

Hugo by Sam Devries Hugo by Sam Devries

Erótico/sexual/explícito – eram algumas das palavras-gatilho enquanto eu crescia em Oklahoma rural no início dos anos sessenta. Enquanto os hippies chocavam o mundo com amor livre, contracultura e margaridas nos canos das armas, eu estava indo para a igreja, sendo um escoteiro e fazendo o meu melhor para evitar o Inferno, pra onde me ensinaram que eu iria se me metesse com esses assuntos. Combinar isso com imagens teria sido uma mistura volátil que poderia te levar a ser malhado de um púlpito. Felizmente, o tempo e a introspecção me permitiram uma visão diferente. No fundo ainda há alguns desses gatilhos, mas vendo a liberdade que você expressa com seu corpo, sua nudez, suas ereções, suas tomadas totalmente diferentes de cada fotógrafo, eu sorrio. Eu sorrio para a beleza, eu sorrio para a provocação, eu sorrio porque é uma arte incrível. Bravo. — Mark Wyrick

Hugo by Sam Devries

Há que se dessexualizar a nudez e se naturalizar a sexualidade. A sociedade brasileira ainda porta a herança cristã, somatofóbica e repressora da sexualidade, muito diversa da mentalidade helênica (ou greco-romana) e da cultura do corpo livre (conhecida na Europa pela abreviação alemã F. K. K.). Realmente, não faz sentido censurar-se a exposição do pênis e da vulva, centrando-se em órgãos tão naturais quanto quaisquer outras partes do ser humano a censura e o pudor.  — Arthur Virmond de Lacerda

Hugo by Sam Devries

Não se trata de opinião, mas de direcionar o olhar sobre o corpo e sobre o sexo como uma filosofia de vida a ser experienciada, aprendida, compreendida e sobretudo sentida. Uma forma de humanização, de resgate da essencialidade.  — Ruano Berenguel

Hugo by Sam Devries

Uma palavra rápida entre nós: esse ensaio pelo Sam Devries foi publicado dias antes na minha página no Patreon, e lá eu também publico fotos extras de todos os ensaios. Eu conto apenas com a sua colaboração pra seguir fazendo esse Projeto, e deixo de fazer outros trabalhos pra me dedicar a fazer arte em tempo integral. Você pode contribuir com $1 por ensaio pra ter acesso a todo esse material e a diversas maneiras pelas quais eu e você podemos interagir na construção dos 100 NUDE Shoots. Clique aqui pra escolher uma contribuição e se tornar meu patrono.

Hugo by Sam Devries - Patreon exclusives

Essa última foto faz parte dos extras do ensaio # 25 por Sam Devries. Se você quiser ver as outras 6 fotos extras que não entraram nesse post, visite o 100 NUDE Shoots na plataforma Patreon e considere contribuir para a realização do projeto. Eu me esforço e invisto pra caramba pra fazer o 100 NUDE Shoots. Numa iniciativa de tornar esse um trabalho realmente colaborativo, eu dedico parte do material que eu produzo, como prévias, fotos extras, making-ofs, vídeos — além de outras formas de interação, troca e colaboração — exclusivamente ao pessoal que contribui pro meu trabalho. Entre pra família do 100 NUDE Shoots e participe da melhor parte do Projeto!

Finalmente, se você ainda não os viu, pode ver aqui os outros 24 ensaios já publicados.